Friday, 28 November 2008

Green Project Awards-Prémios 'verdes' destacam AMI, INETI e Sociedade Ponto Verde



Foram 267 as empresas, instituições, escolas, autarquias e ganinetes de projectos que se candidataram aos Green Project Awards, o que surpreendeu até a organização da iniciativa centrada no ambiente, que arrancou este ano.

A Assistência Médica Internacional (AMI), o Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação (INETI), e a Sociedade Ponto Verde são os grandes vencedores de cada categoria, escolhidos a partir de uma short list de 28 candidaturas. Os prémios, são entregues esta noite no Centro de Congressos do Estoril.

A AMI foi destacada na categoria de Projectos, onde concorreram 143 iniciativas, graças às suas campanhas de recolha de resíduos para financiar projectos sociais. A AMI organizou diversas recolhas: de radiografias, consumíveis informáticos, telemóveis e óleos alimentares usados.

Foram ainda distinguidas com menções honrosas a Junta de Freguesia da Ericeira, com um projecto de recolha de óleo alimentar, e a Livros Amigos do Ambiente, que concorreu com uma plataforma para compra e venda de livros escolares em segunda mão e a preços reduzidos. Criou também o 'livrão' que tem já mais de mil pontos de recolha.

Na segunda categoria, ligada à Investigação e Desenvolvimento, o INETI destacou-se com um projecto de produção de aglomerados (para arquitectura ou construção), através da combinação de pasta de cartões de embalagens com partículas de cortiça.

Também nesta categoria foram entregues duas menções honrosas, uma delas para a empresa Domingos da Silva Teixeira S.A., em parceria com a Universidade do Minho que projectaram um sistema de construção bioclimática, que junta madeira e vidro. A outra mensão foi para a E xtrastudio, Arquitectura, Urbanismo e Design, que desenvolveu um betão orgânico, ou seja, com terra incorporada, para plantação de espécies vegetais.

Por fim, na categoria de Comunicação, venceu a Sociedade Ponto Verde, cujas campanhas coloridas com crianças e figuras públicas de 270 mil toneladas de lixo separado recolhido em 2004, para 460 mil em 2007.

As menções honrosas desta categoria foram para a EDP, com o projecto Energy Bus; para a Delta Cafés, com o Planeta Delta; e para a série documental de Francisco Manso e Luísa Schmidt intitulada Portugal, Um Retrato Ambiental.

Os Green Project Awards foram organizados pelo Grupo GCI, em parceria com a Quercus e a Agência Portuguesa do Ambiente, e tiveram também o apoio do SOL.

O júri foi presidido por António Gonçalves Henriques, Director-Geral da Agência Portuguesa do Ambiente, e constituído ainda por representantes da Quercus, do BCSD, do INETI, Adene, IHRU, Renae, Parque Expo, Universidade Técnica de Lisboa, Universidade Católica Portuguesa e MIT.

Fonte: (http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=118279, consultado em28\11\08)

1 comment:

anasoar said...

As acções da AMI são realmente dignas de reconhecimento e merecedoras de ser premiadas. No entanto, e relativamente á iniciativa de recolha de oleos alimentares, convém esclarecer que esse projecto foi criado pela Junta de Freguesia da Ericeira, cuja actividade e acções relacionadas com a recolha de oleos alimentares e produção de biocombustíveis, deu origem a uma alteração á Lei que existia, a qual inibia as autarqias de produzirem este tipo de energia alternativa. Cabia a esta Junta de Freguesia o mérito da criação do referido projecto!